Blog
VOLTAR

Especialista alerta a população sobre o aumento dos casos de doenças respiratórias na primavera

Nem só de flores é feita a primavera. Conhecida pelas belas paisagens, a estação também é a razão de muitos problemas respiratórios. Polinização das plantas, tempo seco e presença de partículas como ácaros, poeira e vírus no ar, contribuem para o aumento de quadros de rinite, bronquite e asma.

As alergias respiratórias mais comuns nesta época do ano, geralmente, são causadas pelo pólen das flores, conforme aponta a médica pneumologista pediátrica e alergologista do Hospital Dia do Pulmão, centro de referência na área respiratória de Blumenau, Santa Catarina, Dra. Caroline Gabriele Bernardes. “Com o início do processo de polinização das plantas, os grãos de pólen se concentrem em maior quantidade no ar. Quando uma pessoa que já sofre com alergia respira esse ar, o pólen entra em contato com a mucosa do nariz, causando sintomas como tosse, coriza, coceira no nariz e demais regiões das vias aéreas, dores de cabeça, coceira nos olhos, lacrimejamento, rouquidão, garganta seca, espirros e congestão nasal”, diz.

Além do pólen, a médica alerta para outro fator que pode provocar o aumento dos casos de doenças respiratórias na estação: a mudança de temperatura. “As alterações climáticas, alternando entre o quente do verão e o frio do inverno, são a razão de muitos problemas respiratórios. É muito comum que durante a primavera um dia faz sol e calor, e no outro, chove e faz frio. Essa mudança de temperatura ao longo do dia, é um grande agravante para os alérgicos”, afirma Dra. Caroline.

Para ajudar a prevenir as alergias na primavera, a pneumologista alerta para algumas medidas essenciais. “Evite o acúmulo de poeira, mofo e contato com pelos de animais, insetos e ácaros, mantenha as janelas de casa e carro fechadas, para que o pólen não circule no ar, porém, ventile a casa nas primeiras horas da tarde, quando os índices de pólen são mais baixos. Também é indicado lavar o nariz com soro fisiológico, pelo menos, uma vez ao dia, além disso, evite frequentar jardins ou locais com muito vento, flores e árvores, e utilize óculos de sol, ele ajuda a diminuir o contato dos olhos com o pólen. Também é importante secar as roupas no sol para eliminar microrganismos, como ácaros, que podem se acumular no tecido, e por último, use capas impermeáveis para forrar colchões, travesseiros e almofadas”, conclui Dra. Caroline Gabriele Bernardes.

  • COMPARTILHE
Icone - Receba nossas novidades Receba nossas novidades
Fique tranquilo, não enviamos SPAM.
WhatsApp